A Morte Não Existe

Mensagens, depoimentos e informações sobre a história da Joyce

Arquivo para setembro, 2015

Aproveite a promoção da Amazon!

Apresentação1

Anúncios

ACELERADOR DE PARTÍCULAS VÊ SINAIS DE FENÔMENOS QUE VIOLAM LEIS DA FÍSICA

Vejam esta matéria, postada por Rodrigo Romo:

“Amigos e alunos,

Esta matéria é interessante para que entendam mais sobre o que vem a ser física exótica e as realidades paralelas físicas que estão sendo gradualmente detectadas.

Acelerador de partículas vê sinais de fenômenos que violam leis da física

Experimento observou primeira ruptura em modelo teórico dos anos 1970.
Ele ocorreu no LHC, colisor gigante entre a Suíça e a França.

Rafael Garcia Do G1, em São Paulo

Controle de computador mostra colisão com energia de 13 TeV

Controle de computador mostra colisão com energia de 13 TeV

Controle de computador mostra colisão com energia de 13 TeV detectada pelo experimento LHCb, no acelerador de partículas LCH (Foto: Colaboração LHCb)

Três meses após funcionar com quase o dobro da potência anterior, o superacelerador de partículas LHC começa a enxergar sinais de uma física que está além das previsões teóricas. É a primeira vez que isso acontece desde a década de 1970, quando o Modelo Padrão, a teoria que descreve o universo microscópico, se consolidou.

Em um artigo ainda em fase de avaliação para publicação, cientistas afirmam ter detectado um comportamento inusitado na produção de partículas da família do elétron, os chamados léptons. Ao investigar a produção dessas partículas a partir da desintegração de uma outra, cientistas esperavam que os três diferentes tipos de léptons (elétrons, múons e taus, primos mais pesados dos elétrons), fossem produzidos a uma taxa similar, de acordo com suas massas.

Comportamento inesperado pode ser o sinal da existência de mais partículas, além dos 17 tipos já efetivamente previstos em teoria e capturados em experimentos.

As colisões no LHC, porém, resultaram numa produção excessiva de taus, contrariando o que prevê o Modelo Padrão. O resultado foi captado pelo detector de partículas LHCb, um dos quatro grandes experimentos do LHC. Esse comportamento inesperado, apontando para o que os cientistas chamam de física exótica, pode ser o sinal da existência de mais partículas, além dos 17 tipos já efetivamente previstos em teoria e capturados em experimentos.

Nova física

A física de partículas busca descrever quais partículas elementares e quais forças são capazes de explicar tudo o que existe, e teóricos acreditam que o Modelo Padrão não deve ser a palavra final. Eventos como o observa no LHCb podem apontar o caminho da nova física.

“Este resultado, se confirmado, seria surpreendente e espetacular”, disse ao G1 Ignácio Bediaga, físico do CBPF (Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas), membro do consórcio que opera o LHCb. Os sinais observados pelos físicos ainda não são considerados inequívocos como aqueles que apontaram a existência do bóson de Higgs – a última do Modelo Padrão a ser observada em experimentos –, que rendeu um prêmio Nobel a Peter Higgs, físico teórico que a postulou.

Quando o bóson de Higgs foi descoberto, porém, o LHC ainda operava a uma energia de 7 TeV (teraelétrons-volt). A potência do acelerador agora é de 13 TeV, o que significa que os núcleos de átomos que colidem ali dentro estão voando a 1.079.252.838 km/h, ou 99,999999% da velocidade da luz. Com o acelerador turbinado, a chance de os detectores do experimento enxergarem algo diferente aumenta.

O detector de partículas LHCb

O detector de partículas LHCb

O detector de partículas LHCb, uma estrutura metálica de 1500 toneladas; a câmara onde ocorre as colisões é ladeada por dois ímãs de 27 toneladas (Foto: Maximilien Brice/Cern)

O excesso de taus observado no LHCb, mesmo não sendo tão inequívoco quanto a descoberta do bóson de Higgs, pode ser combinado com dados estatísticos menos contundentes obtidos pelo laboratório Slac (Centro do Acelerador Linear de Stanford), na Califórnia, que em duas ocasiões observou o fenômeno ocorrendo. Considerando todos os experimentos, fica bem mais difícil de atribuir os resultados como fruto do acaso. Físicos, porém, ainda estão reticentes em fazer afirmações mais contundentes.

“A desintegração estudada envolve a presença de duas partículas neutras, conhecida como neutrinos, que não deixa traço da sua existência no detector, por isso o processo experimental é bem complicado”, afirma Bediaga. “No LHCb, junto com as partículas produzidas na desintegração, são produzidas outras centenas de partículas. Nós temos mecanismos para separar e entender a origem de cada uma daquelas que foram observadas, mas isso é complicado de entender, por isso eu prefiro ser conservador. Esperamos que os resultados da rodagem de 2015 do LHC nos forneçam mais estatística e melhor compreensão antes de entrarmos em especulações sobre a origem deste fenômeno.”

Multiplicação de partículas

Nenhuma teoria da física havia previsto o desequilíbrio na produção de léptons que foi observado agora pelo LHC. Uma possibilidade aventada é a de que o excesso de taus estaria vindo da interação com um segundo tipo de bóson de Higgs, implicando que a partícula encontrada em 2012 na verdade existe em mais de um tipo. Outra hipótese é a de que os taus estariam se originando de uma estranha combinação de partículas chamada “leptoquark”, que reúne em uma só entidade um lépton e um quark (partícula que compõe o núcleo dos átomos).

Os experimentos finalmente podem ter voltado à dianteira da física de partículas, superando a teoria, guiando o futuro dessa ciência por algum tempo

Esse não foi o único sinal de física exótica detectado no LHC após o início da rodagem a 13 TeV. Outro detector de partículas, o CMS, registrou um evento extremamente energético, uma desintegração de partículas liberando 2,9 TeV de energia na forma de um elétron em um pósitron (elétron de carga positiva) emergindo de uma colisão.

A probabilidade de um evento como esse ocorrer é baixíssima, e segundo os físicos, também sugere a existência de partículas que oficialmente ainda não estão na cartilha do modelo padrão. Uma possível explicação para o evento visto é a existência de uma versão mais pesada do bóson Z, uma das partículas que controlam a interação nuclear fraca, responsável pela radioatividade.

Os sinais da nova física que o LHC está vendo, porém, não se encaixam ainda dentro das antecipações teóricas mais populares entre os físicos. Isso é um prenúncio de que, após quatro décadas, os experimentos finalmente voltaram à dianteira da física de partículas, superando a teoria, e devem guiar o futuro dessa ciência por algum tempo.”

Posted on 21/09/2015 by rodrigoromo2014

Fonte:

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2015/09/acelerador-de-particulas-ve-sinais-de-fenomenos-que-violam-leis-da-fisica.html

Rometria – Módulo Desdobramento Multidimensional e Atendimento com Rodrigo Romo – Ultimas Vagas!

Rometria – Módulo Desdobramento Multidimensional dos 144 corpos com Rodrigo Romo, dias 03 e 04 de outubro – em Novo Hamburgo/RS

Desdobramento Multidimensiona

Desdobramento Multidimensiona

Este é o curso mais avançado dos módulos ensinados por Rodrigo Romo e é um mergulho profundo nas técnicas que permitem limpar as 144 dimensões do umbral e as realidades paralelas da Terra e de cada ser dentro de sua jornada encarnacional, porém, agora trabalhando com 144 corpos sutis.

Com o módulo Desdobramento Multidimensional pretendemos suprir grande parte das dúvidas relativas aos atendimentos de ordem energética como, por exemplo, os diferentes processos da energia multidimensional e a sua expansão dentro das terapias que envolvem deslocamento temporal e astral que ocorrem em atendimentos.

O módulo Desdobramento Multidimensional é uma metodologia avançada e atualizada com a nova egrégora da Terra dentro da mudança de paradigmas existentes no momento onde realidades paralelas, novos planetas descobertos, novas dimensões da alma estão presentes na nossa vida. A Cura Quântica Estelar abriu a percepção extrafísica da maioria das pessoas sintonizadas nesta energia e por isso temos agora uma nova etapa a ser estudada para aperfeiçoar e entender melhor o universo da espiritualidade dentro das terapias.

Apresentaremos ferramentas mais completas, para que o aluno possa compreender as dimensões e o que é realmente o desdobramento multidimensional no alto e no baixo astral.

Alguns assuntos abordados:

Apometria, Radiônica e Radiestesia, pêndulo e outros aparelhos que permitam a definição, detecção de campos de energia e sua desprogramação, como as linhas de Hartmann e pontos geopáticos, muito comuns em nossos lares.

Aplicação dos Símbolos de Cura Quântica para potencializar a água sagrada, florais, óleos essenciais e medicamentos.

Conceitos de Feng Shui para harmonizar a casa e aplicar no estudo do quadro clinico psíquico das pessoas. Muitas vezes se procura harmonizar uma pessoa, mas se esquece da residência, que pode estar carregada e apresentando o verdadeiro ponto emissor de vampirização e distúrbios energéticos.

Este curso serve como um complemento do que é abordado no curso Cura Quântica, permitindo que o terapeuta tenha uma noção mais profunda sobre energias e suas formas de propagação.

Para participar deste curso é imprescindível ter concluído o Cura Quântica Estelar e recomenda-se que tenha realizado algum outro módulo complementar (Orixá Reiki Magnificado ou Método Ascensional Melchizedeck e Voronandeck) para melhor entendimento do assunto abordado. Módulo mais avançado de todos os cursos.

Ultimas vagas…inscrições com Luiza Kehl, pelo e-mail luizakehl@gmail.com

Atendimento com Rodrigo Romo dia 05 de outubro, em Novo Hamburgo.

Rodrigo Romo

Rodrigo Romo

Como sempre nestes atendimentos as vagas são limitadas, assim sugerimos apressar sua inscrição.

O atendimento inicia com uma meditação coletiva, após o que cada participante é atendido individualmente em maca.

Inscrições com Luiza Kehl, em luizakehl@gmail.com

Fiquem na Luz!

Luiza

Meu Livro está na promoção 4.000 e-books na Amazon!

Queridos,

A Amazon está fazendo uma promoção e o livro da Joyce foi incluído!

Amazon jpg

É uma oportunidade para adquiri-lo em formato e-book!

Aproveitem!

Beijos, e fiquem na Luz!

Luiza

Os sinais são manifestações do Cosmos para despertar ou orientar.

Nestes tempos de muitas mudanças lembrei-me desta pequena mensagem. Dá para refletir!

Sun Activity

Sun Activity

“Os sinais são manifestações do Cosmos para despertar ou orientar.

Eles nos são emitidos a todo o momento, nas pequenas e grandes decisões em nossas vidas. Devemos estar atentos sempre para que os percebamos. Eles podem vir através de sonhos, pensamentos, ideias, avisos, convites, etc.

Tudo tem um porquê, apesar de muitas vezes não entendermos. Através deles, nossas vidas poderão tomar um rumo muito deferente do planejado inicialmente. Portanto, está em nossas mãos a escolha de nossas atitudes. Poderemos aceitá-las ou não, pois não somos forçados a nada.

Para aceitá-la temos que ter desprendimento material e do ego.

Temos que nos sentir abertos, livres para aceitar o desconhecido, uma vez que não conhecemos o que poderá estar reservado para nós. Este é um desafio muito grande, pois estamos acostumados a planejar nosso futuro de tal modo que as coisas aconteçam como nós gostaríamos que acontecessem.

E quando isto não ocorre, perdemos completamente o rumo das coisas e questionamos: “Mas como pode ter acontecido tal coisa? Estava tudo tão bem elaborado. Isto é uma injustiça! Onde está a justiça Divina e a dos homens? Porque comigo? Eu não merecia isso. ” E assim vai…. Procuram-se explicações e não se obtém as respostas.

Não precisaríamos passar por tudo isso, se fossemos mais perspicazes, mais observadores, mais abertos. Quanto ensinamento passou por nós sem que nos déssemos conta? Quantos alertas nos foram dados, os quais interpretamos erroneamente? Quantos sinais nos foram emitidos que não vimos e não escutamos? Não paramos para refletir, pensar, analisar no porquê dos fatos.

Se alguém ou uma situação chegou até nosso conhecimento, tem alguma razão de ser. A resposta só poderá ser dada por cada um que estiver vivenciando o momento, porque ela está dentro de nós. A mesma situação poderá ter tantas respostas diferentes quanto o número de pessoas por ela vivenciadas. A individualidade deve ser preservada.

A manifestação e a execução devem vir de dentro, sem que o raciocínio interfira, deixando apenas que o sentimento se manifeste.

É quando agimos com o coração que o caminho surge à nossa frente, podendo ser trilhado com segurança, pois nos levará à nossa Casa Eterna. ”

Fiquem na Luz!

Beijos,

Luiza.

A Terra é uma escola – Mensagem da Joyce

Mensagem da Joyce, extraído do livro “A Morte não Existe”:

 

ascension wave

ascension wave

“A Terra é uma escola por onde passamos algum tempo para aprender e ‘testar’ o que aprendemos. Tudo o que nos acontece aqui, são experiências pelas quais podemos aprender e crescer. Todos os fatos que consideramos difíceis ou até muito fáceis, são experiências chamadas ‘testes’, para questionar nosso conhecimento e, principalmente, nossa fé. Quanto mais difícil a experiência, mais nossa fé é testada. E podemos simplesmente ‘repetir o ano’, se não conseguimos aprender, evoluir e compreender ‘porque’ estamos passando por isso ou aquilo.

O sofrimento é o maior trampolim para o progresso espiritual. Pena que muitos não entendem dessa forma e se entregam ao desespero e revolta, permanecendo assim, no mesmo lugar. Sofrem e não aprendem.

Isto parece difícil para entender, mas é como uma escola comum, temos que estudar e provar que aprendemos e crescemos. Desta forma, estaremos evoluindo e nos conectando com as vibrações maiores, subindo de nível e nos afastando cada vez mais das vibrações inferiores. É isto que Deus quer: Que nós mesmos façamos a escolha, separando o joio do trigo.

A grande diferença de tudo o que aprendemos é que esta seleção será feita por nós mesmos e não por Deus, conforme nos foi ensinado.

Portanto, está em nossas mãos e mais ainda, ao nosso alcance, atingir a perfeição, a sublimação.

Deixa teu Deus interior explodir, espalhando pelo Universo, milhares de partículas de Amor! ”

Beijos, e fiquem na Luz!

Luiza