A Morte Não Existe

Mensagens, depoimentos e informações sobre a história da Joyce

Arquivo para Órion

As Lideranças de Orion

O Rodrigo postou este texto, bastante interessante:

AS LIDERANÇAS DE ORION

Orion e as Tres Marias

Orion e as Tres Marias

“No decorrer do processo político da detenção do poder, muitos agentes de ambas as partes acabaram atingindo um elevado nível de poder e influência dentro das respectivas sociedades, sejam elas humanas, reptilianas, insectóides e das outras formas de vida biológicas dentro desse contexto. Cada qual teve diversos líderes e coordenadores na sustentação desse jogo de poder cósmico. Ao longo do tempo, o poder não estava mais concentrado apenas no controle religioso dos indivíduos, mas nos mecanismos tecnológicos e nas programações ideológicas em diferentes gamas da psique da sociedade dessas diferentes Federações ou Alianças, que tinham se formado gradualmente através da infiltração de agentes dos diferentes grupos de pesquisa e poder dos Filhos Paradisíacos, que se encontravam desdobrados e aprisionados nesse contexto existencial.
A sociedade foi dividida em castas para poderem ser inseridas dentro de um contexto social estelar mais equilibrado que amplificasse o jogo para o desenvolvimento da Colonização de outros mundos e dessa forma, expandisse o conglomerado de poder de cada facção. Para isso era importante colocar Comandantes, ou líderes politicamente amparados, para que cada sociedade pudesse seguir o plano traçado no âmbito invisível pelos manipuladores das outras dimensões além dessa frequência material.

Dentro do palco político da Constelação de Orion, destacam-se no palco político das principais facções raciais entre 3D e 5D diversos Comandantes ou Líderes sociais, que acabaram por gerar a expansão colonial e a quebra de muitos paradigmas dessas mesmas sociedades ao longo do complexo contexto dimensional e temporal, decorrente da manipulação de tecnologias que empregavam o fluxo do tempo como mecanismo de poder.

Satã, líder político da uma das facções da raça Reptiliana, que tinha coligação com o Conselho Galáctico Shamuna, tendo estreitas ligações com as hierarquias do Arcanjo Lúcifer no Conselho. Satã também é denominado por muitos pelo nome de Satanás, que seria na verdade o nome escolhido dentro das linhagens reptilianas, como um cargo de responsabilidade perante o Conselho Galáctico. Foi um dos Líderes da raça reptiliana que separou parte da evolução dos Reptilianos do contexto dos jogos de interesse de Sarathen e consequentemente da Ordem do Dragão Negro (ODN), ao gerar quebras no domínio e na nanotecnologia empregada pelos filhos de Sarathen. Foi justamente Satã que rompeu o domínio através da nanotecnologia genética de Sarathen, para libertar parte dos reptilianos e dos Dracos, que fez com que ele se tornasse um líder nato na busca pela liberdade de seu povo e ao mesmo tempo buscasse uma linha de intermediação com as outras lideranças inclusive as não reptilianas. Satã atingiu o poder através do Conselho Draconiano no sistema de Thuban, sendo posteriormente indicado para o Conselho de Rigel e encarregado de construir um Império reptiliano no sistema de Rigel e Saiph, função que ele cumpriu exemplarmente, no entanto sem a dominação direta de Sarathen, ao quebrar seu monopólio através das ajudas e intervenções do Projeto METROM.

Satã também era um ser espiritual dentro de um processo encarnacional, no entanto ele tinha entrado no processo desde a cognição psíquica de 6D e através dela penetrado nas esferas de até 3D, conhecendo dessa forma todo o leque vibracional entre as diferentes dimensões e seu fluxo temporal. Dessa forma ele também tinha interesse na interação genética com o projeto de Micah, inserindo na estrutura genética dos Reptilianos os códigos do CRISTO-MAHATMA, para libertar essa raça do domínio de Sarathen e inserir com METRATOM e seus filhos, uma nova orientação na evolução dos povos de Orion. Na verdade, a alma que ocupa o corpo biológico de Satã era um enviado direto do Filho Paradisíaco Anhotak, com a função de equilibrar esse jogo e não permitir que Sarathen destruísse o desenvolvimento da raça reptiliana junto aos códigos de Micah. Portanto Satã era um enviado de Anhotak, para gerenciar o equilíbrio dessa transfusão genética entre os diferentes genomas e com isso inserir a condição do CRISTO – MAHATMA em ambas as linhagens.

Muitos aspectos da guerra fria, por assim dizer, foram contornados e gradualmente manipulados por Satã no intuito de gerar condições de cruzamento genético entre Humanos, Zetas, Dracos, Draconianos, Alpha Cytraks, Greys, Humanoides, e outras formas de vida biológica, para equilibrar o contexto multidimensional desses genomas, permitindo dessa forma, que os fractais de alma pudessem entrar e interagir entre esses diferentes genomas, através do processo encarnacional. Mas o maior conflito e problema que a liderança de Satã enfrentou na sua gestão, foi justamente a nanotecnologia inserida no controle das raças aprisionadas no jogo de interesse de Sarathen, que infiltrou os XOPATZ e outras equipes no contexto político e religioso do grande Império de Orion. Este foi o maior desafio e linha de confronto na qual Satã travou conflitos severos e gerou rebeliões em diferentes frentes no fluxo temporal e Orion, para quebra do poder de Sarathen sobre uma parte da raça reptiliana e com isso ajudar na conclusão do projeto METROM.

Na verdade Satã não era um amante dos ideais de Micah, mas também não concordava no fluxo dos acontecimentos da forma como Sarathen e seu pai Anhotak tinham deixado acontecer, através de suas disputas de poder. Ele estava mais interessando em centralizar o poder sobre si mesmo e dessa forma gerenciar a evolução das espécies sobre seu controle, mas permitindo o processo ascensional a medida que ele mesmo ia presenciando esse processo. Portanto, na verdade Satã que a estas alturas já era um Comandante da linhagem Lanonadeck Secundária, pretendia era libertar os povos galácticos do controle de Sarathen, mas deixá-los sobre seu controle e com isso inserir gradualmente os códigos do CRISTO-MAHATMA conforme seus interesses e delegação de poder com os outros comandantes que ele tinha capacitado e preparado para fazerem parte de sua liga de comando. Na verdade, o que estava sendo realizado era uma troca de poder entre as facções lideradas e infiltradas por Sarathen e pelos Xopatz, pelo comando e intenções de Satã e sua equipe. Este por outro lado estava ciente da necessidade dos Filhos Paradisíacos maiores, como Micah, Anhotak, Emanuelys, SHTAREER e outros de gerar o equilíbrio no projeto através do foco não apenas desse CRISTO CÓSMICO, mas de outros que também tinham inserido sua codificação no palco político. Portanto caberia a Satã utilizar esse jogo em seu proveito, mas de forma inteligente, para que ele ainda saísse como um Líder e um estrategista bem quisto por todos os Filhos Paradisíacos.

Portanto Satã estava criando um novo jogo, no qual Sarathen era um empecilho, assim como os seus correligionários políticos, que tinham infiltrado a dependência religiosa em grande parte das sociedades entre 3D e 5D. Libertar as sociedades desse holograma de aprisionamento era um de seus interesses, para galgar uma posição estratégica junto ao Conselho. Este movimento seria posteriormente denominado de grande Rebelião de Lúcifer/Satã, pois na verdade Satã se aproveitou de uma conferência do Conselho Shamuna, para gerar o movimento de quebra do domínio religioso sobre as operações governamentais de parte da federação de Orion. Na verdade o Arcanjo Lúcifer quando questionado sobre o processo de controle das almas e dos clones, dentro de seu ciclo reencarnacional controlado e hipnotizado pelo contexto religioso, por parte dos Anciões de Dias de Alcione e da Aliança Humana, que tinha sido favorecida pelo Comandante ONARA, teve como resposta do Arcanjo Lúcifer uma profunda negativa, sobre esse regime de escravidão, onde os clones e outras almas não clonadas estavam presos a hologramas religiosos de aprisionamento encarnacional, sem direito a voltar para a fonte primordial. Este foi o momento decisivo para que o Lanonadeck Satã e suas equipes, criassem um movimento político de quebra entre o poder governamental e os hologramas religiosos. Este procedimento chefiado por Satã, viria a ser conhecido como a Grande REBELIÃO, que levou em alguns mundos o nome do Arcanjo Lúcifer e em outros mundos o nome de Satã.

Este movimento político gerou a quebra em 2 facções dentro da Federação de Orion e dos outros grupos de poder, que gradualmente acabaram sendo influenciados pelo movimento que sabiamente Satã gerou, ainda mais nas manipulações genéticas com as quais ele quebrava o poder de Sarathen e inseria uma nova codificação direta de Anhotak em linha de absorção dos códigos de Micah e dos outros Filhos Paradisíacos.

Esta quebra do poder absoluto do contexto religioso, como limitador na escala de evolução da consciência, foi abolido em uma das facções, que estava sobre a liderança de Satã e de suas equipes, pelo lado das raças reptilianas e humanoides com o genoma Draco, mas por outro lado, na linha dos humanos e humanoides, existiam diversos outros Comandantes que estavam buscando resgatar estas outras formas de vida, aprisionados nessa proposta dogmática. Assim, o Comandante Oberon foi um dos que junto com Anyon-Dher criou condições de atuarem entre 3D e 5D, para libertar parte da civilização humana do controle religioso imposto pelos líderes da Aliança Humana. Em determinados momentos esta Aliança humana e os reptilianos liderados por Satã tiveram interesses mútuos de libertação e de colonizarem planetas livres da influência política da então Federação de Orion.

A proposta era que para impedir uma nova guerra, novos planetas fossem disponibilizados no contexto colonial para ambas as facções religiosas e não religiosas, para expandir a evolução e dar oportunidade para que ambas as sociedades tivessem a oportunidade de evoluir conforme sua convicção. Inicialmente a opção foi aceita e gerou o contexto do Êxodo político e religioso de diversas civilizações para novos planetas, sendo que a Terra era justamente um dos planetas com condições ideais em 3D a 5D, estando bem próximo ao palco político dos acontecimentos. Além de ser um planeta Morontial com codificação Micahelica na estrutura de seu núcleo.
Então a Terra desde esse processo já era um foco de interesse, para criar uma nova condição de vida, inicialmente livre dos dogmas de controle dos nanites inseridos no genoma das principais raças de Orion e das imediações do mesmo. A Terra apresentava projetos bem antigos e estava livre para ser utilizada novamente para esta nova proposta. Dessa forma o Lanonadeck Satã enviou suas equipes reptilianas para colonizarem cidades e estabelecer centros de apoio para as futuras raças draconianas e Dracos, que seriam inseridas na Terra e nos planetas vizinhos. Estas raças chegaram à Terra muito antes da implantação do genoma humano e humanoide, que tem sua marca na linha temporal de 3,2 milhões de anos. Mais um foco político que acaba sendo inserido no fluxo temporal da Terra e de suas realidades paralelas, além do que viria ser o futuro do Umbral da Terra, quando haveria a invasão das equipes da ODN na Terra e com a chegada dos Anunakis.

Satã então encabeçou a linha psicológica e política da quebra da dominação religiosa e quebrou os dogmas ideológicos, nos quais uma alma nunca poderia chegar a DEUS-FONTE, sem a ajuda dos SERAFINS e dos Ajustadores de Pensamento, instrução que era mantida pelos Anciões líderes da Aliança humana e humanoide desde o centro operacional de Alcione, tanto para as raças humanas quanto para as reptilianas e as draconianas, pois todos tinham criado o seu império com clones após a grande guerra, empregando o mesmo conceito filosófico, para manter o equilíbrio das forças e o controle de ambas as linhas de poder. Justamente o que Sarathen desejava, para ampliar a sua atuação na Via láctea, e poder aprisionar a alma desses seres dentro das Bolhas Dakar, que estavam sendo formatadas pela criação conceitual de PARAÍSO – INFERNO. O universo estava dividido entre aqueles que seguem para o paraíso em linha de ascensão para A FONTE QUE TUDO É, e para aqueles que tinham carma, culpa e ações negativas, indo parar no INFERNO, ficando aprisionados no ciclo encarnacional. Este conceito era sustentado até os dias de hoje pela nanotecnologia e implantes neurais, que submetem uma mente inteligente a absurdos sem sentido, através da fé religiosa e dogmática. Paradoxalmente apesar da elevada tecnologia e da capacidade de viajarem no tempo e entre as estrelas, esses seres se mantinham presos a dogmas bizarros de fundo religioso, que estavam inseridos desde a sua formatação como clones. Ou seja, no momento da clonagem, era inserida esta codificação dentro da estrutura de seu genoma, passando a ser uma verdade absoluta. Assim era fácil controlar uma sociedade de bilhões de seres ao longo do tempo e na expansão colonial que formatou a Federação galáctica. A quebra desse sistema era do interesse de todos os Filhos Paradisíacos, que queriam de volta os seus fractais de alma, aprisionados, portanto o Lanonadeck Satã era a solução para esta situação, quando ele iniciou a quebra e começou as contramedidas eletrônicas para neutralizar os implantes de submissão religiosa, uma guerra santa foi travada, sendo que em alguns planetas, realmente houveram conflitos armados e guerra mais complexas, gerando êxodo para outras partes da galáxia. Estrategicamente Satã soube se posicionar e aproveitar o momento de libertação, mas também soube trabalhar com outras equipes e delegar comandos, evitando dessa forma ser um ditador, caindo na graça dos Filhos paradisíacos, que gradualmente depositavam nele mais poder e confiança. Esta situação gerou naturalmente o desdobramento multidimensional e temporal das ações de Satã e da formatação de um novo império que acabaria por se concretizar entre 4D e 5D, formando uma sociedade intermediaria entre o jogo político de Sarathen e os interesses da Aliança da Luz que era controlada por METRATOM.

Satã criou uma equipe de apoio e delegou comandos e atribuições para cada um desses seres poder dessa forma gerenciar esta nova linha de acontecimentos, sendo Belzebu um dos mais importantes, junto de Asmodeus e Astoroth, no controle e na nova programação genética, contendo novos códigos dos Filhos Paradisíacos que estavam entrando nesta nova fase do processo encarnacional e consciencial. É fundamental para poderem assimilar bem esta parte dos acontecimentos, que o conceito de Mal e Bem, não pode ser empregado de forma linear como ocorre na Terra, pois o que estava em jogo era uma civilização inteira e bilhões de almas aprisionadas em um jogo de poder. Satã simplesmente gerou um movimento de mudança estrutural e se posicionou como Líder, para poder absorver mais conhecimento e vampirizar gradualmente durante o processo essas mesmas almas, mas dando liberdade a elas, uma liberdade relativa, na medida que elas acabavam por ficar em débito com ele à medida que evoluíam e quebravam os dogmas do passado. O grande opositor ideológico que sustentava na realidade humana e reptiliana a FONTE QUE TUDO É, de forma a manter os clones e outras almas presas era justamente o ser denominado como ATHOM, que representava uma partícula do TODO, sendo ela a responsável por enviar a alma e sua centelha divina de volta a FONTE QUE TUDO É. No entanto, essas almas eram colocadas em estado de congelamento após a morte física e sua desacoplagem do corpo físico, ficando em estado de criogenia por tempo indeterminado. O Conselho de ATHOM era quem definia se uma alma poderia ou não ser empregada em outro contexto encarnacional. Em caso positivo a sua memória era completamente apagada e essa alma iniciava uma nova fase encarnacional, onde fosse enviada. Este procedimento era muito importante na questão colonial, onde se empregavam estas almas para encarnarem em planetas primitivos a serem conquistados e adequados aos interesses da Federação Galáctica. ATHOM representava e ainda representa para muitas sociedades o conceito de uma FONTE ÚNICA no universo, que está por trás de tudo o que foi criado. No entanto, esse não é o problema, mas sim o conjunto de manipulações que foram inseridas nesse jogo através desse holograma virtual, que estava coligado aos implantes neurais, nos quais essa energia chegava telepaticamente a todos os serem implantados durante o processo de clonagem, dentro do programa de estabilização das sociedades que faziam parte da Federação de Orion, Plêiades, Sirius, Pegasus, Cassiopéia e outros setores próximos.”

Este texto pode ser compartilhado desde que não se altere seu conteúdo e mencione a fonte: http://www.rodrigoromo.com.br

Beijos, e fiquem na Luz!

Luiza

Anúncios

Contra-ataque às forças Umbrlinas – Canalização de YASLON YAS através de Rodrigo Romo

The eye of the storm

The eye of the storm

 

Amados filhos da realidade terrestre física,

Entendemos a situação e a preocupação de vocês com relação às diferentes informações existentes sobre a questão de retalhar os ataques das forças umbralinas. No entanto, existem muitos outros fatores que vocês não conhecem relativos ao poder e à influência real dos seres reptilianos e seus associados através dos GRAYS, ZETAS, XOPATZ.

Amados filhos, para a maioria dos canalizadores e dos médiuns do planeta TERRA no plano físico, os confrontos com as forças do UMBRAL, se limitam na crença deles, no plano astral e na questão da projeção fora do corpo. Mas na verdade isso é somente parte das ações e das tarefas que a maior parte de vocês desenvolve sem saber.

Para seus canalizadores e líderes espirituais, que na maioria das vezes usam vocês como testas de ferro em seus trabalhos na espiritualidade, tudo lembra um filme de cinema, onde as balas e tudo é de mentira, onde os mocinhos nunca são afetados e sempre ganham.

Mas na vida real as coisas não dessa forma, e muitos políticos e pessoas públicas que fizeram profundas mudanças ou mesmo somente tentaram inserir mudanças na estrutura social, política e econômica da vossa civilização, acabaram pagando com a vida, através de acidentes trágicos, doenças estranhas e fulminantes ou mesmo através do básico assassinato encomendado, como foi o caso do Presidente Norte Americano Kennedy e Abraham Lincoln, fora o assassinato de mahatma Gandhi.

As forças rebeldes ou sinistras como vocês as denominam, estão inseridas dentro da estrutura governamental de quase todos os países representativos da atual realidade terrestre, isso inclui a maior parte dos países com alto grau industrial e movimentação financeira representativa no contexto do controle dos grupos secretos como os ILUMINATTIS, SINISTRO GOVERNO SECRETO e as escolas herméticas que esses grupos controlam, para assediar e chipar as diferentes categorias do patamar político, militar e religioso da TERRA.

De onde vocês acham que surge o dinheiro empregado em projetos ilícitos das forças armadas? Justamente do aparente esquema de corrupção dos vossos políticos, que desviam o dinheiro para instituições e grupos que são diretamente controlados pelos ILUMINATTIS e seus agregados nos altos patamares do poder mundial. A fabricação de estações de pesquisa secretas no plano intraterreno, interoceânico, equipamentos HARP, treinamento de tecnologias secretas e outros processos ainda mais secretos que a maioria da sociedade humana nunca imaginaria, são gerenciados com o dinheiro mundial da corrupção e dos desvios de verbas incalculáveis, que deveriam ser empregados no bem estar da humanidade no aspecto social. Todas essas situações que vocês estão vivendo no palco político é na verdade o reflexo do poder das forças umbralinas dos grupos de poder dos reptilianos que através de sua tecnologia e agentes secretos como entrantes, acabam controlando e manipulando a humanidade.

Assim, dessa forma a questão não é apenas brincar de agente secreto no plano astral como muitos canalizadores e médiuns difundem, pois para que isso possa ser efetivamente realizado, pelas pessoas comuns, é fundamental antes de mais nada a disciplina para saber atuar e agir no plano astral.

Existe um aspecto interessante que é o efeito de ressonância. Se uma pessoa é desequilibrada e indisciplinada no plano físico e emocional, ela também tem a mesma configuração no plano astral. Quando se fala em contra-atacar as forças sinistras do plano Astral ou mesmo das bases negativas, isso requer treinamento e disciplina, um requisito que 90% dos humanos não possuem. Além de aprender a seguir uma cadeia de comando sem objeções. Vocês na maioria ainda têm medo de EXU e de suas falanges e querem brigar contra reptilianos. Isso não é um filme de cinema de ficção.

Lembrem-se que toda ação tem uma reação, quando se ataca uma base reptiliana, isso gera um contra-ataque na mesma proporção, porém indo direto à sua fonte. E, como a corda sempre arrebenta no ponto mais fraco, sempre vai sobrar para os humanos o rescaldo dos contra-ataques das forças sinistras.

Por esse e outros motivos estratégicos, através de minha conferencia em Lisboa, foi instruído que os nossos alunos e membros do Comando estelar, não entrassem em confronto direto e de forma aberta, pois esse tipo de informação aberta através da internet acabaria por colocar muitos alunos e pessoas em estado de alerta e ao mesmo tempo em linha de risco do contra-ataque aleatório dos reptilianos e dos outros grupos rebeldes. A questão de limpar ou mesmo de desativar as bases dentro do Umbral é realizado através dos membros do vosso Ancoramento e quando eles entendem que o aluno, no caso vocês, estão prontos para participar dessas tarefas, somente então é que vocês entram nessa outra fase do vosso desenvolvimento sensorial e astral, aprendendo a utilizar os outros veículos psíquicos e astrais que os humanos possuem e desconhecem.

Se partisse do Rodrigo Romo uma informação para que todos os seus alunos entrassem em confronto direto e aberto contra as forças sinistras, a maior parte de seus alunos acabaria entrando em confrontos, muitos holográficos, relativos a seus próprios hologramas e contratos pessoais no processo encarnacional, o que de nada resolveria. Por esse motivo os alunos são selecionados pelas entidades do Ancoramento ou mesmo pelo Rodrigo de forma secreta e sigilosa, para que dessa forma sejam treinados nas suas capacidades extrafísicas, extra-sensoriais, e na utilização das tecnologias necessárias, além disso é importante conhecer plenamente o Ancoramento e seus membros. A maior parte dos alunos não apenas do Rodrigo Romo, mas de outros professores não absorve os ensinamentos e não tem preparo para empregar uma tarefa tão complexa e árdua como essa.

A maior parte de vocês se encontra aprisionado ainda às questões humanas e seus respectivos hologramas pessoais do ciclo encarnacional, o que também são contratos de ordem do umbral. Portanto tentar atuar dentro de uma linha de confronto dessas, acabaria por entrar em choque contra os seus próprios contratos pessoais, que em muitas vezes estão associados à ganancia e à questão de querer dominar o poder, da mesma forma que os reptilianos jogam com os humanos.

Lembrem-se da frase famosa de JESUS CRISTO: “QUEM NÃO TIVER PECADOS, QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA”

A guerra declarada contra as forças sinistras passa também pelo envolvimento dos humanos dentro da pratica de magia negra, abuso na política, uso indevido do poder, má índole e outros aspectos dos miasmas geneticamente adquiridos dentro do genoma humano, que foi contaminado pelo registro de alta dualidade dos Anunakis de Nibiru e de outras moradas.

No caso especifico dos alunos formados pelo Rodrigo Romo, ao longo dos últimos 20 anos de cursos e conferencias, existe uma seleção natural de pessoas no plano físico e astral, selecionados através do seu merecimento e esforço em se tornarem seres melhores e se libertarem dos hologramas e da matriz de controle terrestre. Seleção essa que naturalmente os MESTRES e os TRONADOS do Ancoramento da CQE realizam regularmente, conforme as tarefas são resolvidas pelos alunos tanto no plano da projeção astral, como na sua vida pessoal, através do bom senso, reto viver, reto atuar e agir, demonstrando um verdadeiro crescimento interno.

Por esse motivo que não se pode solicitar a todos os humanos que frequentam os cursos, centros espiritas, Umbanda, candomblé e outros segmentos similares que vistam um escudo e empunhem uma espada, pois não estão preparados nem para resolver as coisas de suas vidas pessoais em detalhes simples, como então solicitar a eles que enfrentem uma guerra que eles já perderam no passado, pela sua fraqueza e ganância pelo poder. Caso contrário não estariam encarnando na TERRA com tantos problemas. Tudo no universo é um fluxo de ressonância e emissão de energia. As almas encarnadas na TERRA se encontram na faixa da ressonância com as forças sinistras e rebeldes desse grupo de Reptilianos, sendo facilmente controlados.

Assim, seria muito arbitrário da parte de Rodrigo Romo, solicitar abertamente às pessoas que declarassem guerra contra as forças sinistras como outros palestrantes têm feito. Do ponto de vista social é muito bonito, mas na pratica mais atrapalha do que ajuda, pois essas pessoas acabam com a sua mente limitada e sem conhecimento atrapalhando as funções dos diferentes grupos e hierarquias da espiritualidade, que têm funções bem específicas na questão do Umbral e das bases negativas existentes em diferentes localidades do planeta TERRA.

Lembrem-se que quando o aluno está pronto surge o MESTRE, portanto inicialmente todos têm que se preparar, começando por fazer o dever de casa, ou seja, trabalhar a si próprio e parar de buscar fora aventuras de consciência para distrair vocês e com isso não realizar o que realmente importa, que é que cada um seja LUZ E AMOR, e não viver de ficção espiritualista como a maioria vive. São vocês do mundo esotérico que inventam e criam os hologramas espirituais, que acabam atribuindo aos Mestres do plano espiritual.

Vocês sabiam que muitos Mestres são invenção holográfica criada pelos líderes religiosos mundiais, desde os tempos remotos do surgimento das primeiras sociedades secretas no antigo Egito e em todos os outros povos e culturas, o mesmo ocorrendo nos dias atuais através dos grupos que manipulam as informações dentro do universo esotérico e místico. Não cabe aqui dizer quem é ou não, mas para que reflitam sobre essa questão, vocês buscam salvadores, mas não querer assumir a responsabilidade pessoal de mudar e amadurecer, sempre é mais fácil os outros fazerem isso por vocês, o que fica claro ao serem avaliados pelos vossos amparadores do plano astral, no qual 94% dos alunos são reprovados.

É muito fácil criticar e acusar de covarde a quem foge da luta, mas essa é justamente a posição dos primeiros a fugirem, ser valente é antes de mais nada, saber obedecer e empregar o conhecimento em seu próprio benefício, para ampliar as chances de vitória, como a maior parte dos humanos, não conhece nem o seu corpo astral, é a mesma coisa que pedir a crianças uma tarefa fora de sua realidade. Por isso o treinamento árduo dentro das escolas dos Mestres, em Aruanda e em outras instituições para poder formar uma alma/pessoa, para que seja capaz de desintegrar uma base no umbral e enfrentar um reptiliano de verdade. O resto são brincadeiras e sonhos de ficção.

O contra golpe dos grupos rebeldes é aplicado no âmbito da fisicalidade, atingindo os pontos mais fracos dos seres humanos, finanças, doenças, família, relacionamento e por fim a morte trágica, depois de muito sofrimento. A maior parte dos pesquisadores ou “ditos” esotéricos acreditam que o plano astral está separado da fisicalidade 3D de vocês, esse é justamente o maior engano que cometem, por falta de conhecimento cientifico do que é a matéria e as diferentes frequências da LUZ e de seus componentes, divididos entre ENERGIA ESCURA, MATÉRIA ESCURA e MATÉRIA BARIÔNICA, que representa o seu plano físico 3D. O plano astral é na verdade uma frequência dimensional denominada na ficção cientifica de HIPERESPAÇO, que é na realidade uma bolha de energia entre as diferentes dimensões, servindo de morada para os seres rebeldes. Com a sua tecnologia eles criaram dimensões paralelas, acopladas ao plano físico ou etérico, tendo acesso direto através da psique da própria humanidade entre os diferentes níveis de emissão psíquica e das ondas cerebrais e emocionais da humanidade, que são controlados pela mídia, televisão, cinema, gibis, mangas e outras formas de controle mundial, gerando os hologramas, onde a humanidade se esconde e acaba por alimentar as diferentes realidades umbralinas da biosfera da TERRA. Com isso, quando os seres humanos desencarnam, acabam naturalmente se inserindo dentro desses bolsões de fuga psíquica, o que para muitos é o Umbral, pois essas almas não buscam a luz e nem a paz de seus corações, mas simplesmente os mundos ilusórios e imaginários criados pela religião ou pela vontade de fugir de sua realidade desequilibrada.

Ser um guerreiro das equipes do ARCANJO MIGUEL é antes de mais nada, ser uma pessoa ÍNTEGRA DE CARÁTER, o que é uma raridade dentro da falta de valores que a humanidade vive na atualidade. O TRONO DE MIGUEL não é composto simplesmente de seres que adoram a guerra e o confronto, antes de mais nada eles respeitam a VIDA e as diretrizes da LEI DIVINA, o que exige muita disciplina e tolerância por parte de seus guerreiros. Por isso o treinamento e importante. Vocês, filhos da TERRA, têm uma amnésia prolongada e não sabem quem são. Como querem adentrar nas fileiras de MIGUEL sem antes não trabalhar a sua conduta que lhes permita o grau de consciência da ASCENSÃO planetária. A maior parte de vocês está aprisionada na TERRA há mais de 150.000 anos terrenos e ainda continua com o mesmo grau de consciência de quando entraram no planeta. Se fosse tão simples a questão da quarentena e dos conflitos na TERRA eles já teriam sido resolvidos muito antes de vocês terem chegado na TERRA, o que não ocorreu. Portanto, as coisas têm um caminho que não é aquele mais fácil, por que a humanidade está focada no aspecto mais simples e fácil.

Coloquem um espelho em suas vidas particulares e reflitam, quantas vezes escolheram o caminho mais fácil, ao invés do caminho difícil, que exige mais disciplina de vocês. Vejam esse exemplo na alimentação e nas escolhas em geral. Vejam a diferença entre um iogue, que possui uma vida regrada e com uma disciplina que lhe garante vida longa e saudável, mas a maior parte prefere a vida simples, a comida sintética, a gordura e uma vida de doenças. São escolhas, muitas vezes pelo comodismo, e nem por isso as pessoas podem ser taxadas de “más” ou de “negativas”, mas simplesmente escolheram um ritmo de vida mais simples ou cômodo.

No caminho da espiritualidade ocorre o mesmo processo, no qual as pessoas vão até os centro espíritas fazer “pedidos”, somente “pedidos”, não vão aprender nada. Normalmente as questões se limitam a pedir relacionamento, dinheiro, trabalho, poder, conquistas, mas “APRENDIZADO”, isso é raríssimo. O aprendizado não me refiro no âmbito de aprender magia, mas de buscar uma explicação para seu caminho evolutivo na vida. Os terreiros de Umbanda e de Candomblé estão cheios de “pedintes” que normalmente não valorizam o trabalho e a ajuda realizada pelos sacerdotes e pelas equipes espirituais em suas questões pessoais. Tudo isso faz parte do crescimento espiritual que as pessoas não percebem e não avaliam.

A maior parte da humanidade está conformada em ficar aprisionada na TERRA e não entende que a sua “ALMA” vem do espaço interdimensional, não foi criada dentro de um planeta, seja ele a TERRA ou qualquer outro. O caminho da ASCENSÃO é, na verdade, iniciar o caminho de retorno para a sua estrutura EUSOU/MÔNADA, que se encontra em planos não materiais. O planeta TERRA já possui um histórico de conflitos e de dualidade muito maior do que vocês imaginam, muito antes do planeta MALDECK ter sido destruído, o vosso Sistema Solar ou Sistema de MONMANTIA já teve diversos conflitos e guerras geradas pelos seus habitantes nos últimos 3,6 bilhões de anos pela contagem terrestre. Fora os conflitos de Órion, Pégaso, Andrômeda, Capela, Tau Ceti, com os quais a maior parte das Almas acabou sendo transferida no fluxo temporal para a TERRA e os seus planetas vizinhos. A dualidade e a questão do confronto estão dentro do seu DNA fisiológico e psíquico, contaminando dessa forma a “ALMA” no decorrer desses bilhões de anos com experiência de elevada dualidade fisiológica.

Assim, incentivar por nossa parte o confronto quando não se tem preparo emocional, e nem o amadurecimento necessário é um desrespeito para com vocês, e acredito que quem faz o contrário o faz sem ter entendimento do que está em jogo na mais profunda expressão da alma de vocês. Temos guerreiros e muitos de vocês são guerreiros, mas momentaneamente no plano da ilusão e dos hologramas que controlam as suas vidas. Para que possam ser guerreiros vitoriosos é necessário um amadurecimento e disciplina internos, para que se tornem pessoas confiáveis perante o CONSELHO CÁRMICO e perante os seus amparadores, para que os mesmos possam confiar a vocês tarefas no sentido de limpeza do umbral e ações táticas de neutralização dos grupos rebeldes e dos núcleos ou células de controle neural da humanidade. Essas ações são realizadas diariamente pelos grupos taticamente treinados pelos membros do Ancoramento da CQE e pelo próprio Rodrigo Romo que atua dentro desse segmento com um grupo seleto de projetores astrais e com cargos e patentes nas esferas dos templos da espiritualidade, gerando assim os sistemas de defesa e libertação das almas aprisionadas. Mas esses trabalhos não podem ser revelados simplesmente para o conhecimento público, pois colocaria em risco a segurança de centenas de pessoas e alunos, além de comprometer as outras ações desses grupos no contexto de libertação da TERRA e de seus habitantes, que está sendo realizado em conjunto pelos diferentes grupos da ALIANÇA GALÁCTICA, FEDERAÇÕES e pelos Mestres da SUPRA CONFEDERAÇÃO.

Amados filhos, ou melhor, Amadas Almas, vocês são um feixe de luz perdida na fisicalidade, há milhares de anos, vagando entre planetas e sociedades, que escolheram trilhar o caminho árduo da dualidade do confronto e do poder. Enquanto essa energia ou foco esteja dentro do vosso coração, será isso o que irão colher no decorrer de sua caminhada. Muitos de vocês acreditam que eu YASLON YAS sou um guerreiro estelar. Na verdade isso é um fractal de minha energia e intervenção no contexto de TETA e de outros clusters em NEBADON e outros universos, mas antes disso sou apenas um emissor de radiação do amor, paz e harmonia, pois em nosso universo:

HARMONIA = AMOR

Nossa origem é muito além do universo material e da configuração dos 7 Superuniversos que vocês entendem como materiais. Somos provenientes de um outro e muito mais antigo complexo existencial de bilhões de universos interligados pelas pontes gravitacionais de ENERGIA ESCURA, MATÉRIA ESCURA, TÁKIONS DIMENSIONAIS E POR FIM MATÉRIA BARIÔNICA, com a qual o vosso universo foi confeccionado pelos Filhos VORONANDECK e semeado com almas por alguns FILHOS PARADISÍACOS.

As constantes do universo vão muito além do que a sua tecnologia e ciência atual conseguem explicar, e dentro de tudo isso a dualidade e o confronto são aspectos temporários do imaginário de alguns grupos, que ficaram obcecados pela capacidade de controlar a outros seres e com isso ter a experiência de DEUSES.
O confronto está dentro de toda Alma que não compreendeu a máxima dos ensinamentos do amado Jesus Cristo/Sananda, que bloquear o avanço das forças negativas é uma tarefa e uma obrigação dos seres de luz, para manter o equilíbrio, mas esses seres não têm o confronto dentro de si, mas a disciplina e o entendimento do equilíbrio do universo. Muitos de vocês acham que confrontar os reptilianos é a saída, mas na verdade é uma fuga para o que ainda falta ser trabalhado dentro de vocês como seres de PAZ E HARMONIA. Quando isso é conquistado a energia de vocês derrota imediatamente os reptilianos, pois eles se alimentam da energia de confronto e poder dos humanos e das outras espécies. Se o canal Rodrigo Romo tivesse estimulado o confronto com as forças sinistras, estaria colocando vocês em uma bandeja gratuitamente para os reptilianos e as outras forças sinistras em oposição ao plano do CRISTO CÓSMICO que é justamente estabelecer a paz e harmonia dentro de vocês. Somente com isso conquistado e que vocês podem se tornar GUERREIROS DA LUZ DE MIGUEL. Antes disso vocês são apenas pessoas e consciência perturbadas se intrometendo nos assuntos de gente grande como vocês diriam.

Os alunos que já estão mais tempo em contato com os livros e a literatura que o canal Rodrigo Romo têm escrito, tem já parte dessa compreensão, o que não veio fácil, levou anos, para ser entendido e principalmente terem realizado uma introspecção profunda com isso, para dessa forma uma mudança na sua postura conquistado ao longo de muitos anos. Não se muda uma pessoa de um ano para o outro, ainda mais com os milhares de anos de experiência dentro dos hologramas da dualidade que já vivenciaram.

Amados filho ou almas, realmente existe uma guerra, mas ela está dentro de cada um de vocês. Aí reside o maior perigo, pois vocês são frágeis e facilmente manipulados pelas forças sinistras, através dos movimentos religiosos ou pela mídia, enquanto não houver um trabalho interno de harmonização e de introspecção com as entidades do vosso Ancoramento, os hologramas ainda vão perturbar a vossa realidade física e astral. Essas pessoas quando dormem frequentam os confrontos do dia a dia, ao invés de frequentar as universidades do plano astral dos diversos Mestres. Cada um dos 12 raios possui universidade, assim como Aruanda, Kuthumi, Ramatis, Templo dos 22 Raios e muitos outros, para que sejam frequentados por vocês na medida que ocorre o interesse e o despertar. Mas infelizmente a maior parte dos esotéricos anda ainda nas esferas dos hologramas do umbral.

Querem ser guerreiros e derrotar seus opressores reptilianos? Então encontrem a disciplina interna e a harmonia, para não serem derrotados desde o início, pelas suas próprias falhas de caráter humano. Essa é a força dos reptilianos, que reside nas falhas e nas fraquezas humanas. Sempre foi assim e continuará, pois eles criaram vocês e conhecem os pontos fracos da humanidade.

A criação da espécie humana da TERRA e de outras moradas é uma questão biológica, mas a Alma e o Espirito é de energia e de anti-máteria ou simplesmente de Energia Escura. A alma habita temporariamente a matéria biológica, que possui uma carga genética de memórias ou memória celular quântica. Vocês estão vivendo a dualidade residual dos grupos estelares que lutaram durante milênios pelo poder, na escolha deles de controle sobre o próximo. Algumas almas acabaram buscando esse experimento e acabaram se auto aprisionando dentro desse contexto. A nossa função como membros do plano existencial da MÔNADA é ajudar no despertar para o universo da ALMA não somente da matéria biológica. Existe um diferencial bem profundo neste contexto, que a maioria dos seres não percebe, pois se limita somente à matéria e ao holograma que a TERRA é o único planeta do universo.

Bom, amados filhos, acho que já expliquei algo para que possam refletir e dessa forma entender qual é o verdadeiro oponente de vocês nesta jornada. O verdadeiro guerreiro da luz é LUZ, PAZ, AMOR, HARMONIA antes de tudo, pois a sua irradiação elimina os oponentes pela alta frequência que emana de seus corações e de suas atitudes. Reflitam sobre isso, antes de tomarem atitudes que podem significar milhares de anos no aprisionamento dos hologramas da causa e efeito.

Fiquem na paz de vossos corações.

EU SOU um EU SOU na sintonia da paz e harmonia da libertação dos hologramas.

YASLON YAS.
RODRIGO ROMO, 07/04/2015 – SP.

Meditação CQE das Quintas-feiras

Recebemos do Rodrigo o seguinte comunicado referente às meditações das quinta-feiras:

Notem bem como esta evoluindo este trabalho! Se ainda não estão participando ainda é tempo! Podem iniciar já agora no dia 27!

 

Meditação CQE das Quintas. 

Bom dia amigos, 

Esta noite me foi solicitado que notificasse vocês dos focos que serão ativados e estabelecidos para os diferentes grupos de alunos, conforme a sua capacidade de projeção e nível de percepção sensorial e ativação do corpo criogênico. 

Atuaremos em 4 linhas diferentes conforme a orientação dos 12 Chohans e do Mentor de CQE de cada aluno, que estiver focado em nossas meditações todas as 5ª feiras. 

1-  Templo dos 22 Raios na Amazônia junto ao comando estelar, para ativação do processo ascensional e restauração do códigos originais da alma, antes do processo encarnacional na Terra, estabelecendo dessa forma o fim dos contratos abusivos do ciclo re-encarnacional na Terra.

2-  Shamballa e Agharta. Atuação junto aos Mestres da Ordem Kumara, para restabelecer a linha de conexão com as escolas Kumaras da Via Láctea e a Ordem dos Anciões Sirianos, no quesito de reabilitação das almas de exílio na Terra, provenientes dos Sistemas Solares de Capela, Sirius-Império, Maldek, Arcturos 4, Shaulla 6, Orion, Tau Ceti, Argos 7, Vênus, Nibiru e Pegasos. Todos são grupos de almas que se encontram presos na Terra no ciclo, que estão passando pelo processo de avaliação e seleção. A maior parte dos nossos amigos e familiares, pertencem ou já pertenceram a esses grupos de almas e fractais de alma, desde o processo encarnacional estelar, que estão passando em todas as dimensões da Terra pela avaliação. Cada um dos alunos de CQE, estará finalizando ou equacionando sua relação com essas almas, para finalização ou quebra definitiva de contratos.

3-  Reino Dévico. Diversos alunos estarão sendo preparados para desenvolver tarefas de harmonização e restauração das estruturas do Reino Dévico da Terra, já sendo preparados para à utilização da nova técnica que será transmitida das Colunas de purificação e transmutação, desde os Orixás/devas pessoais até os do planeta. Este grupo será posto à efetuar treinamentos com a Hierarquia dos Elohins, Serafins, Orixás e Manus das esferas etéricas da Terra, para adquirir nova consciência e assumir a responsabilidade de transmutação planetária.

4-  Comando temporal. Outra parte dos nossos alunos irá trabalhar diretamente com o Comandante YASAMIL, no desenvolvimento do aperfeiçoamento das técnicas de Rometria-Desdobramentos dos corpos sutis, ou Super Apometria, para estabelecerem novos campos de energia na Rota Hexagonal e reativação definitiva dos corpos Criogênico e Morontial, para trabalhos diretos sem intermediários junto ao Comando Estelar e seus fractais de alma, já na frequência estelar. 

Cada um desses 4 grupos, estará sendo ativado pelo próprio Mentor da CQE, para acessar a sua qualificação e tarefas, como continuidade dos trabalhos que tem sido desenvolvidos nos últimos 6 meses de meditações e desenvolvimento sensorial extra físico. 

O Conselho Shamuna-Galáctico e o Conselho da Terra em conjunto com o Conselho Estelar e a Ordem de Micah/Miguel, determinaram o fim do isolamento astral e frequêncial de milhares de almas exiladas ou em missão na Terra. Com essa nova decisão os trabalhadores astrais e das diferentes realidades etéricas da Terra, passam a assumir contato direto e sem intermediários com os Mestres e Comandantes, que estão engajados na Operação Resgate, o que representa em primeira fase, o despertar consciencial da humanidade e das almas aprisionadas na Terra. 

A Ordem Santa Esmeralda já providenciou junto aos Comandantes de cada fractal de alma e dos alunos de CQE, sintonizados por Shiva Hama Kur, Yaslon Yas, Alcon  e  SHTAREER, que seja realizada a avaliação dos contratos e a possível quebra dos contratos de aprisionamento na matéria terrestre, para fusão consciencial entre o Astral Inferior e o Astral Superior, gerando dessa forma o despertar da memória estelar e o acesso as esferas além de 5D do campo orbital da Terra e a liberação para acesso aos outros planetas e naves do Comando Estelar, removendo o status de exilados. Essa determinação irá ajudar na questão de acelerar o despertar sensitivo e a capacidade de captação e visualização das tarefas realizadas em outros planos, para um número elevado de alunos, que já se encontram em gradiente elevado, nas suas funções no plano astral. 

Cada grupo terá uma fase de adaptação e acoplamento com suas novas funções que será dilatado e ajustado nos próximos 4 meses, para que dessa forma as questões pessoais e contratos de sofrimento ou carma planetário, sejam equilibrados pelo Ancoramento da CQE, realizando uma grande faxina na vida de milhares de alunos. 

Fiquem na paz do vosso Deus interno e meditem, estimulando a Chama Trina, para acelerar esta nova fase em nossas vidas. 

Que a paz esteja com todos, 

Grato,

Rodrigo Romo & equipe Ordem Santa Esmeralda.

As 22 Delegações Estelares na Terra: O Projeto Terra

Oi Gente,

Deparei-me com esta matéria do Rodrigo sobre as origens das civilizações na Terra, que achei interessante postar:

As 22 Delegações Estelares na Terra: O Projeto Terra

Planeta Azul visto do espaço

Planeta Azul visto do espaço

“Após muitas guerras e conflitos resultantes das distintas etapas culturais em Órion, em especial no quadrante de Rigel, Medes, Capela e El Nyat, além dos confrontos contra as delegações das 3 Marias, ocorreu uma etapa onde a Confederação interveio e foi possível desenvolver uma negociação mais ampla e promissora.

Muitas culturas já tinham percebido que a guerra sangrenta não era a melhor solução, rendendo-se as novas negociações e compartilhando com a Federação os projetos de pacificação e trocas culturais. O que antes tinha sido considerado uma fraqueza por causa da lavagem cerebral que havia sido inserida em cada cultura dos pontos mais vulneráveis dessas alianças.

A Terra, como parte do território operacional de Sirius, estava sendo colonizada por diversos grupos estelares, muitos dos quais, tinham fugido das questões políticas e sociais referentes aos confrontos ideológicos e conscienciais. Muitas colônias que estavam presentes na Terra desde os últimos 857 mil anos passaram pelas situações mais amargas e duras desse conflito estelar. Outras, residentes há cerca de 1,3 milhões de anos já estavam bem mais estáveis e atuando em esferas entre a 3D e 4D, efetuando sua conexão com os mestres da Fraternidade Branca, servindo de recepcionistas para as novas delegações. Existiam também aqueles que procuravam se isolar em territórios mais afastados ou em cidades intraterrenas para se livrarem da ação dos grupos rebeldes.

Um grande número de exilados já tinha chegado a Terra desde épocas remotas, onde os ciclos cósmicos terrestres já os tinham purificado ou desterrado conforme as novas energias cósmicas se acoplavam para elevar a Terra para as novas etapas.

Com relação a raças exiladas, existiram muitas antes dos tempos conhecidos, algumas delas referentes a vinda de Sanat Kumara para a Terra, há cerca de 18,6 milhões de anos, quando uma grande delegação de exilados de diversos mundos rebeldes ligados as atuações nocivas de Satã e Tolak desenvolveu graves alterações conscienciais nas limitações de Vega, Lira, Regulus, Capela, Andissa, Procyon Gama, Sírius Kapa, Agena 5, Maldek 2, Rigel 7 e Orion 13. Mundos onde a taxa de dualidade, agressividade e índole destrutiva foram além dos valores permissíveis, ameaçando destruir planetas inteiros, em diversos setores desses sistemas, o que os fez serem colocados à disposição pelas suas sociedades e, em muitos casos, pelo Conselho Cármico dos Anciões de Dias de Salvingtón.

Dessa forma, a Terra e outros mundos equivalentes receberam parte desses exilados para um novo processo de reciclagem consciencial, o que levou a uma sangrenta era na Terra, exigindo a tomada de medidas de segurança para não destruírem este planeta.

Sanat Kumara veio para a Terra para ancorar a egrégora Crística e inserir uma espécie de tribunal cármico ligado as mais altas esferas, preservando a Terra da possível e inevitável destruição que estava sendo plasmada pelas almas destoantes que nela estavam.

Esse processo foi sendo gradualmente burilado e transmutado no decorrer das etapas de tempo e encarnacionais de mais de 15 bilhões de almas entre as 7 infra dimensões do Umbral e a 4ª dimensão do Astral. As etapas seguintes, referentes às novas raças exiladas e residuais da Terra, foram gradualmente sustentadas em cerca de 12 civilizações que se elevaram e muitas se perderam em suas autodestruições e complicações psíquicas.

O contexto mais ligado a nossa atual civilização e seus problemas cármicos está relacionado às últimas raças estelares e aos processos que temos gradualmente narrado. As interferências e saldos residuais das civilizações anteriores ocorreram de forma acentuada quando a chegada dos novos exilados foi ancorada.

Um dado interessante é que a maior parte das delegações exiladas referentes ao nosso contexto eram descendentes reincidentes das antigas raças rebeldes que já tinham descambado para o lado da perversidade e movimentos anticrísticos criando uma guerra estelar de grandes proporções há mais de 20 milhões de anos.

Esses, que eram o saldo e micróbio residual de uma antiga e lendária revolução consciencial que Anhotak criou há mais de 2,6 bilhões de anos em Draconia, tendo seus efeitos diretos em Rigel e inserindo um arquétipo negativo no DNA das raças draconianas, que abordamos no livro Confederação Intergaláctica 2, que foi detalhadamente projetada por Satã há mais de 10,3 bilhões de anos, quando assumiu como Lanonadeck Secundário abaixo da liderança de Lúcifer e passou a manipular e desvirtuar os registros akáshicos e genéticos dos dracos e das primeiras raças ancoradas em Satânica, que era a raça humana Liriana e Veganiana.

Entretanto, as raças que deram continuidade a grande diversidade genética na Terra, que chegaram a cerca de 857 mil anos e algumas a 1,3 milhões de anos, tem relação direta com muitos aspectos das 22 raças que fundamentaram a 2ª, 3ª e 4ª Raça Raiz que muitos escritores tem revelado.

Na verdade, eram cerca de 37 delegações residentes desde então na Terra, passando por processos interessantes de remodelação e ajustagem consciencial após seu exílio ou fuga dos conflitos sociais que não tinham conseguido resolver. Entre exilados por decreto e refugiados existia uma tênue nuvem de valores, mas muitas questões em jogo de egos e disputas residuais que nunca tinham sido resolvidas.

Por esse motivo muitas dessas delegações eram inimigas ou pouco simpatizantes entre si, o que criava novamente uma linha de concorrência e separatismo, que foi identificado pelas raças residentes da Terra. Estas, que por sua vez, eram resíduos das raças terrestres antigas que já tinham elevado para dimensões mais sutis, tendo permanecido os seres com maior densidade e mais primitivos, que passaram a ser trabalhados pela engenharia genética com novas raças e símios dos planetas originários dos novos exilados ou refugiados. Isso consolidou uma nova etapa genética e de pesquisas no que se referia a criar novas raças humanas, vegetais e animais.

Essas pesquisas deram origem a uma nova série de animais e plantas em nosso mundo, que eram parte do projeto da famosa Biblioteca Viva, que os Pleiadianos tanto falam através dos livros de Bárbara Maresiniack já que os pleiadianos também estavam inseridos nesse contexto.

Isso ocorreu pelo fato de tantas delegações estarem exiladas ou mesmo escondidas na Terra, e queriam restaurar parte da egrégora de seus mundos natais, procurando assim reproduzir a fauna, flora e animais de estimação que eles possuíam em seus mundos, inserindo uma infinidade de novas ramificações evolutivas dentro da natureza terrestre. Porém, isso exige tempo, muita paciência e perfeição para poder integrar novas raças dentro de uma nova relação climática e geológica, onde diversas adaptações tiveram que ser criadas para permitir o sucesso do projeto.

Aos poucos a Terra foi se tornando uma “arca de Noé ambulante”, onde centenas de animais e plantas foram artificialmente criadas e reproduzidas de outros planetas, o que configura o aspecto de Biblioteca Viva. Mas no que diz respeito às raças humanas, outro fator foi interessante. Algumas delegações estelares praticavam a escravidão e desenvolveram novas formas humanoides para servirem de escravos e pesquisas para guerreiros descartáveis em uma eventual revanche contra a federação e em mundos que tinham perdido a força de vigilância da Federação, buscando assim darem continuidade às disputas políticas.

Outra parcela do processo foi referente às almas que passaram a encarnar na Terra, devido ao exílio, o que complicou bastante a ação nefasta desses grupos em suas pesquisas genéticas, pois esses novos seres humanos adaptados tinham uma inteligência e uma herança consciencial proveniente dos próprios criadores geneticistas, recriando os defeitos e índole. Situação que eles não tinham previsto, perdendo o controle sobre suas criações, que eram rebeldes por natureza, assim como o criador direto no aspecto genético e moral.

A Terra foi dividida em territórios e por delegações, cada qual procurou taxar sua propriedade e metas de respeito para com o outro, incluindo sobre as pesquisas e manipulações genéticas. Isso foi sendo gradualmente inserido à medida que novos grupos chegavam a Terra, o que em algumas situações gerou novos conflitos, e disputas pelas localidades, que ofereciam maiores recursos naturais e minerais.

Com o tempo a Federação e outras delegações dentro de seus pactos, procuraram convencer todas as delegações existentes na Terra, a aceitarem um projeto de unificação e neutralidade consciencial, para criarem na Terra um centro neutro onde cada delegação poderia se ajudar mutuamente na criação de um porto estelar ou entreposto comercial sem fronteiras, a exemplo do que tinha sido feito em Capela e Medissa. Porém, com maior flexibilidade e sem intrigas, uma nova tentativa para restabelecer a paz e negociação entre todas as raças, que outrora tinham sido inimigas mortais.

O projeto demorou a ser considerado válido, mas com o aumento das pressões políticas, acabou sendo aceito, e foram 22 raças em especial que acataram de forma mais objetiva traçar metas, e paradigmas para esse novo projeto e a verificação das vantagens que isso poderia significar no futuro.

As outras raças que não concordaram em participar desse conglomerado continuaram a sua trajetória, mas de certa forma acabaram participando indiretamente do processo de globalização cultural e genética na Terra, onde muitas raças de animais, plantas e símios foram retrabalhados ou absorvidos pelo projeto para um melhor rendimento e manifestação dentro dos novos planos e conquistas científicas conjuminadas do grupo formado.

Esse projeto perante a Federação e outros grupos foi bem aceito e gradualmente estudado por diversos grupos que tinham de certa maneira confrontado e também dado suporte a grande rebelião, ou seja, em outras palavras, as forças por trás dos bastidores estavam de olho no que estava sendo plasmado na Terra. Cada um estava de olho naquilo que poderia aproveitar ou absorver direta ou indiretamente do novo plano, que tinha a mão sutil da Confederação que dentro do fluxo temporal e dimensional sabia o que iria acontecer.

Entretanto, as delegações de Anhotak não tinham completa noção do que estava para ser realmente desenvolvido com a grande mistura de DNA dessas raças, que na verdade envolviam cerca de 315 raças estelares, muitas inclusive de Andrômeda e diversos sistemas dentro dessa galáxia vizinha. Estavam presentes também algumas delegações de Shinkara.

A Terra estava se configurando em um novo centro de criação da alma, sem que as próprias almas e os poderosos percebessem o que estava sendo ancorado. O projeto Terra realmente previa a transmutação consciencial através da mistura genética de todas as raças guerreiras e rebeldes, que tinham ancorado o maior grau de dualidade e negatividade em seus experimentos, para gradualmente fazer a alma transmutar dentro do processo encarnacional e consciencial que isso gera em cada experiência vivida.

O Projeto Terra previa também a restauração da tecnologia dos Portais Estelares, sustentados pelo sistema de Pirâmides em cada planeta do anel interno do Sistema Solar, que inclui Marte, Vênus, Terra e Júpiter, criando assim uma nova tecnologia perdida na linha do tempo pela maioria das delegações exiladas na Terra, que buscavam há muito tempo restaurar esse tipo de ciência e tecnologia e que tinha pertencido às antigas raças fundadoras, que na época residiam nas dimensões mais elevadas, como os Canopianos, Sirianos de Alfa Sírius, Arcturianos e outras dentro dessa linha mais sutil e harmônica.

Na realidade, as delegações físicas até a densidade de 5ª dimensão, ainda não tinham sublimado muitos defeitos, o que os distanciava em diversos desses conhecimentos para abrir tais portais. Por esse motivo, a unificação e colaboração do conjunto de raças e suas tecnologias poderia restaurar tal conhecimento e técnicas para operar o conjunto de energias e a matemática sagrada do conjunto de pirâmides que eles queriam estabilizar em seu projeto.

Eram diversos projetos além dos Portais, alguns estavam ligados à genética, outros a viagens no tempo e portais dimensionais através do som, além de estudos sociais e arqueológicos nos planetas do Sistema Solar para efetuar a ponte histórica das raças fundadoras de cada planeta em diferentes escalas de tempo, que tinham padrões em comum com as lendárias raças estelares ou fundadores, que tinham dado origem às raças de cada planeta do qual eles tinham estado antes ou mesmo eram descendentes.

A verdadeira linha evolucionária racial da galáxia estava perdida e as novas raças não sabiam a fundo a sua real origem e procedência na escala de colonização dos fundadores, pois a vida tinha se proliferado em paralelo em muitos planetas. O que tinha confundido o porquê de tantas raças similares em distintos planetas e em largas distancias, colocando um véu sobre o ponto real de cada raça e sua origem dentro de uma linha cronológica e posicionamento gráfico na galáxia.

Muito se falava de um mundo original na qual a raça draconiana, humana e outras tiveram seu ponto de partida, mas esses mundos lendários, nunca tinham sido localizados pelas distintas raças e pesquisadores em sua busca e navegação pelo espaço, onde até o presente momento existem naves vagando perdidas ao longo dos emaranhados da Via Láctea em busca desses mundos.

No contexto da Federação em Draconia surgiu o padrão draco, mas ele veio de outra galáxia externa, assim como a raça humana, que apesar de ter sido implantada em Lira, é proveniente de outra dimensão extragaláctica. Dessa forma, a busca tem sido em vão para muitas dessas delegações, mas serviu para traçar uma linha cronológica e sequencial de planetas e sistemas que foram visitados.

O que mais deixou esses grupos confusos foi o fato que muitas raças existiam em paralelo em sistemas com mais de 3 mil anos luz de distância, comprovando a ação direta de seres extra físicos, que foram denominados por muitas raças de forma independente como os Elohins, o que por sua vez, configura a existência de uma inteligência maior invisível, além da referente realidade encarnacional que cada qual empreendeu em seu jogo pessoal pelo poder e pela dualidade.

Os registros encontrados na Terra em cavernas e antigas cidades subterrâneas ligadas a antigos processos glaciais e polares foram também um achado surpreendente para essas novas raças na Terra, que encontraram parentes e antigas naves lendárias de suas delegações anteriores que tinham sido consideradas perdidas, por terem entrado em Buracos Negros ou em fendas dimensionais em Rigel, 3 Marias e outros setores, que por muitas vezes representaram pontos de confronto.

Isso demonstrava que essas fendas e portais levavam a viagens pelo tempo e pelo espaço. Seus cálculos apontavam para deslocamentos temporais da ordem de mais de 5 milhões de anos em alguns casos, o que era um achado impressionante, abrindo neles o questionamento de por que irem para a Terra e não voltarem para seus mundos originais e de lá, acelerarem o processo evolutivo<> A questão eram as realidades paralelas e o medo de terem intercedido na evolução cronológica. Muitas pesquisas e hipóteses surgiram dessas constatações de naves terem regredido no tempo e não se proposto a interferir no processo evolutivo de suas raças em seus mundos natais.

Os registros encontrados em cada uma dessas naves e delegações perdidas no tempo foram interessantes e deram uma alavancada na compreensão evolutiva e nas novas impressões sobre o deslocamento temporal e seus efeitos sobre a consciência biológica. Foram também encontrados registros de raças que deixaram a fisicalidade até a 5ª dimensão há mais de 15 milhões de anos, residentes em grandes bases a cerca de 47 Km de profundidade nas calotas polares, deixando uma alta tecnologia a base de silício e cristais, que tem relação com raças perdidas e lendárias de Canopus e Andrômeda. Raças que deram sustentação a Alfa-Sírius e desta, para as novas raças que ajudaram a fundamentar a Federação, como por exemplo, os Nodianos.

A questão terrestre no que diz respeito a pesquisas referentes a antigas civilizações perdidas foi um projeto interessante que deixou diversos grupos interessados, o que os deixou um pouco a margem das disputas de poder e concorrência com os grupos mais ativos nesse contexto.

A importância dessas descobertas colocou em evidência que toda a constelação de Satânia e, provavelmente, toda a galáxia é uma gigantesca biblioteca viva, com etapas evolutivas e sequenciais de raças e egrégoras que encarnaram e deram a sua contribuição para estabelecer parâmetros evolutivos de milhares de raças.

Esses conceitos ajudaram a burilar diversos aspectos em algumas delegações mais equilibradas, que acabaram contatando a Confederação de forma direta e a Fraternidade Branca para gradualmente se libertarem dos falsos conceitos e valores, que ainda estavam presentes na politicagem da Federação e de seus dirigentes, que por muitas questões não eram confiáveis.

Assim, a ponte com a Confederação Crística foi estabelecida e ancorada para dar respaldo ao projeto de amadurecimento no Projeto Terra, que é uma extensão direta do projeto da Via Láctea nas altas esferas de Salvingtón e Nebadon, onde as equipes mais elevadas do universo Teta e mesmo mais além, plasmaram para a evolução e burilamento da alma e aperfeiçoamento do Eu Sou em cada etapa consciencial que temos para que nos tornemos co-criadores em perfeição com a Fonte Crística Universal, aprendendo a burilar a nossa dualidade em cada etapa psíquica e emocional com as realidades que cada um plasmou e configurou em sua etapa pessoal em seus programas e experiências.

A Terra é o reflexo de um projeto maior de ordem galáctica, onde milhares de raças e culturas têm que se manifestar e consagrar em distintas etapas de percepção sobre a própria existência e dualidade em cada etapa onde a polaridade dos pensamentos e sentimentos devem se expressar gradualmente na pesquisa sobre a mestria de cada alma em suas etapas evolucionarias e compreensão da herança criadora do Pai-Mãe Universal a que cada um na criação tem direito. Mas que exige etapas longas de preparação e aprimoramento para serem compreendidas e realmente digeridas e colocadas em prática dentro da lei do amor universal, a qual cada um de nós tem que caminhar e amadurecer em suas próprias escolhas e caminhadas pelos ciclos encarnacionais que sustentou.

Dessa forma, a Terra acomodou diversas delegações estelares dentro de um plano arquétipo divino de alta esfera onde as raças, dentro de um processo encarnacional holográfico, não perceberam como em sua dualidade e questões políticas estavam caminhando para um burilamento consciencial, à medida que ocorriam as misturas raciais e genéticas onde a alma teria que plasmar experiências.

Inicialmente, quando os acordos e negociações foram estabelecidos, algumas raças que não concordaram com tais parâmetros, se mantiveram isoladas em seus propósitos e em alguns casos, construíram suas cidades em fendas dimensionais isoladas da realidade terrena convencional, para assim não participarem das novas disputas. Eram grupos que queriam ficar sozinhos e darem continuidade a sua forma consciencial evolutiva e sem interferências externas.

Muitas dessas raças atualmente se mantém em realidades paralelas e buscam ajudar a Federação ou Fraternidade Branca para despertar da humanidade. Eles possuem centros terapêuticos e de estudos avançados, como na cidade de Erks, em Córdoba na República Argentina, além de outras em território brasileiro em pontos estratégicos na Amazônia e Serra do Roncador, além de pontos no sul do Brasil.

Porém, com relação aos grupos que participaram do Projeto Terra, inicialmente os acordos foram cumpridos, uma nova linha consciencial foi sendo trabalhada e muitos progressos foram alcançados pelas equipes em cada área que tinham se disposto a unirem seus esforços. Foi uma época muito promissora e contagiante de otimismo para diversos grupos, no entanto o espírito de competividade e desconfiança em alguns grupos ainda se mantinha em ritmo de espionagem e planos de sustentar vantagens para com os colegas.

Esse aspecto acabou com o tempo levando a fragmentação do projeto e geração de novos conflitos, que tinham a presença sórdida de líderes rebeldes exilados que estavam plasmados em esferas de 4ª, 5ª e 6ª dimensão, que estavam aplicando uma insubordinação e conquistando a Caligasto, que era o príncipe planetário da Terra. Este, que começou a simpatizar com Satã e Toalk nas questões políticas e de poder, o que gradualmente interagiu nos planos do Projeto Terra e começou a confrontar a Fraternidade Branca em muitos aspectos, ajudando a que fossem criadas falsas religiões e desvios das tradições santas de muitas raças.

Satã e Toalk acabaram chegando a Terra e deram início a uma rotina de alterações e novas propostas, que colocaram em cheque as negociações e planos de fazerem da Terra um entreposto aberto e fraternal entre todas as raças do conjunto e das outras que aqui chegassem, colocando dessa forma um fim as disputas de poder dos diversos grupos, que mesmo com o fim da rebelião ainda ficavam os resquícios e aspectos a serem gradualmente amenizados e harmonizados pelo tempo e pelo convívio em uma linha mais pacífica.

Esse processo foi gradualmente sendo rompido e degenerado pelas lideranças draconianas e anticrísticas que estavam residindo na Terra, onde cada uma das raças presentes de alguma forma contribuiu para o fim do projeto, pois as disputas acabaram sendo novamente radicalizadas e guerras desenvolveram-se em grande envergadura sobre esse solo, como contam nossas lendas sobre as guerras entre os deuses e entre homens e deuses.

Assim, os conflitos antes existentes no orbe de Órion e Sírius acabaram sendo cristalizados e ancorados na Terra, depois de muitos anos de tentativas e acordos que foram frustrados pelos líderes rebeldes. Coligados a Anhotak da galáxia de Arconis. O ciclo interno de rebeldia e dualidade se repetia no coração e da consciência de milhares de representantes dos diversos grupos estelares, o que mais uma vez inviabilizava a descoberta da tecnologia dos Portais Estelares via as Pirâmides Planetárias, e o que os distanciava ainda mais da ativação dos Portais Cósmicos alinhados pelas estrelas em determinadas coordenadas estelares, onde as antigas raças já ascensionadas, colocaram estrelas em tal alinhamento, que com suas energias gravitacionais e de luz, transportavam naves e planetas de uma galáxia a outra além de poderem acessar outros Superuniversos.

Esses Portais são utilizados pelas raças ligadas às mais altas esferas já no limite do processo encarnacional, na esfera de 6,7D pra cima, o que coloca poucas raças dentro de tal tecnologia. Normalmente, são os Merkabas e irmãos de 7D que utilizam esse tipo de tecnologia que está milhares de anos a nossa frente e de muitos irmãos extraterrestres que se manifestam na Terra.

A intenção de se apoderarem da tecnologia dos Portais caiu por terra quando as novas manipulações e espionagem foram detectadas, afastando-os do propósito original de paz e mútua colaboração. Muitas lideranças da própria Federação acharam perigoso adquirir esse tipo de tecnologia com a falta de maturidade existente, o que colocaria não apenas a nossa galáxia, mas outras também em riscos desnecessários devido à imprudência e infantilidade pelo poder de muitos líderes.

Esses líderes, ligados ao contato direto com a Confederação e com as fraternidades espirituais, acabaram por desativar tais projetos e desviar a atenção para outras coisas mais importantes e deixar arquivados os estudos e tecnologias referentes aos portais, até que uma nova ordem social e moral fosse estabelecida dentro dos acontecimentos que estavam sendo vislumbrados no contexto cósmico.

O fracasso do Projeto Terra dentro da ótica sideral da Federação naquele momento foi grande, onde novos conflitos, medos e preconceitos foram novamente resgatados. Foi como um retrocesso em muitas tentativas pessoais de passarem por cima das antigas diferenças, o que provocou uma debilitação política e social dentro das lideranças e estrutura comercial de todos os povos, fortalecendo as delegações draconianas, que em parte não tinham acreditado nessa unificação.

Quando me refiro aos draconianos, estou generalizando, devemos ter em mente que nem todos estavam engajados nesse processo de alta dualidade e disputa pelo poder como os descendentes de Satã e Toalk. Existem até hoje diversos grupos dracos que são ligados à Federação e Confederação, que optaram por uma evolução Crística e harmônica, seres que consideram seus parentes infantis e medrosos em não querer aceitar a evolução natural para as esferas mais sutis, onde o poder material acaba se tornando insignificante e sem sentido real para aqueles que atingem uma oitava superior de luz e de compreensão.

No processo que se seguiu ao fracasso do Projeto Terra e de unificação dos colonizadores e exilados estelares, esse planeta sofreu inúmeras interferências e guerrilhas desses grupos, o que ficou configurado em nossa memória genética e está presente em lendas mais antigas, como pode ser encontrado nos registros dos Vedas, assírios, egípcios, atlantes, quíchuas, aimaras, incas, maias, toltecas, olmecas, gonos, aborígenes, kahunas, tribos indígenas americanas, lendas asiáticas, lendas tibetanas e de tantas outras culturas antigas. Lendas que inclusive, saem em algumas partes da Bíblia e de outras escrituras antigas ligadas a esses tempos remotos da Terra, que são anteriores a destruição da Atlântida e da Lemúria.

Devemos ter consciência que o que sabemos da Terra é muito pouco. Foram encontradas no mar mediterrâneo e no mar vermelho antigas construções perdidas, com pirâmides e registros de civilizações. O que era apenas uma lenda, tornou-se real, confirmando as lendas sobre cidades que foram submersas em cataclismos de proporções globais ou locais.

Texto: Rodrigo Romo 2008

http://www.rodrigoromo.com.br&#8221;

Beijos, e fiquem na Luz!

Novo livro do Rodrigo – TERRA – O Jardim das Experiências

Chegou o novo livro do Rodrigo – TERRA – O Jardim de Experiências. É uma psicografia que aborda a criação e evolução geológica e espiritual do planeta Terra, as diferentes formas de vida existentes no plano astral e a sua classificação no plano material.

Terra - O Jardim das Experiências

Terra – O Jardim das Experiências

O Rodrigo aborda o surgimento de formas de vida e a interferência dos visitantes estelares cocriadores que geraram as primeiras formas de vida inteligente e seu desdobramento para outros planetas e sociedades interligadas às nossas realidades paralelas, assim como a colonização de diferentes formas de vida entre os planos existenciais da alma nos desdobramentos das raças humanóide, insectoide, reptiliana e adâmica, que foram sucessivamente implantadas em diversos ciclos do planeta. Aborda ainda da origem da Ordem dos Sete Raios e dos lendários dragões alados e das hidras, que representam algumas das raças intraterrenas do planeta ligadas às raças de Órion, Graco, Sírios e outros mundos ligados espiritualmente à Terra.

Este livro é uma viagem profunda em parte do processo evolutivo do planeta e de sua proposta de mundo morontial micahélico e o despertar da energia do Cristo interno das almas que vieram experiênciar a sua polaridade interna.

Estaremos oferecendo o livro durante os cursos, mas quem quiser antecipar pode fazer o pedido para meu e-mail: luizakehl@gmail.com que atenderemos pelo correio. O preço do livro é R$40,00

Beijos e fiquem na Luz!